A Psicoterapia Individual realiza-se por norma individualmente, podendo por vezes ocorrer o dialogo com pessoas significativas dos relacionamentos do paciente
Visa essencialmente o apoio do paciente em diversas áreas da sua vida, tanto interior / afectiva como externa, perante as quais se sinta incapaz de lidar sozinho e que lhe acarretem sofrimento, ponham em causa o seu equilíbrio afectivo (ex: dificuldades em manter uma relação existente) ou façam perigar o seu sucesso do ponto de vista externo (ex: conflitos recorrentes no emprego, problemas escolares, etc).

Apresenta um misto de objectivos de adaptação do sujeito à realidade que o cerca e de maturação psicológica, pretendendo-se nas consultas promover a diminuição dos problemas reais da pessoa e correlativamente dos sentimentos subjectivos que são inerentes às dificuldades sentidas, tais como depressão, angustia, ansiedade, medo, indecisão, etc.

O aconselhamento, o apoio na compreensão das próprias atitudes e das reacções de terceiros perante o problema sentido, a ajuda á reflexão acerca do assunto em causa e o estabelecimento de pontes entre o sentir actual do paciente e as origens do mesmo em experiências infantis, ajudam à explicação e ultrapassagem dos bloqueios sentidos e vividos, permitindo que ocorra uma modificação do paciente no que concerne essencialmente ao assunto em questão mas não só (também no geral da vida interior e exterior do paciente), o que eleva o equilíbrio psíquico e bem-estar do paciente.
 
 
 
 
 
A Psicanálise é uma ciência e técnica das psicoterapias, criada e desenvolvida com base nas descobertas de sigmund freud, organizadas sob a forma de uma teoria do funcionamento psíquico.

Pretende auxiliar o paciente a aprender a pensar livremente - sem (pré)conceitos pessoais ou constrangimentos sociais - sobre os problemas que manifesta a nível de mal-estar interior mais ou menos permanente ou de questões difíceis de resolver na vida quotidiana.

Tem como a priori que o paciente fale livremente sobre as suas questões, sem escolha prévia de assunto nem censura de qualquer tema, não ocorrendo qualquer directividade, censura ou orientação do terapeuta, sendo a função do mesmo interpretar o discurso do paciente, ou seja, propor novos sentidos e novas leituras para o que o paciente esta a narrar, gerando-se assim novos esclarecimentos acerca dos problemas que estao a ser falados.
 
 
 
 
 
Os objectivos da psicoterapia psicanalítica são sobretudo a obtenção de maior compreensão interior (designado insight, que permite enriquecimento pessoal dum ponto de vista afectivo e cognitivo) dos conflitos que o assaltam, e para os quais ele próprio pesquisará soluções, ao faze-lo correlativamente surgirão novos modos, mais positivos, de se relacionar consigo próprio (com a sua identidade, perceber melhor quem é) e com as suas relações na realidade externa.

É uma técnica que se insere na Ética da Liberdade e capacidade do próprio paciente em resolver os seus problemas - com a ajuda do psicoterapeuta, que “unicamente” o auxilia na espelhagem do seu Eu, a tomar consciência de verdadeiramente quem é, não o dirigindo, não lhe propondo soluções externas.